Horário de Atendimento : Seg. a Sex.: 7h - 12h e 13 - 18h. Sáb.: 8h - 12h
  Contato : (54) 3011-0092

pexels-photo-1692050

Coração de mãe merece todo o cuidado: a importância de cuidar da saúde cardiovascular durante a gravidez

Neste domingo, comemora-se o dia das mães, essas mulheres exemplares que se dedicam à formação e amparo de outros seres humanos, mas que também precisam olhar com mais carinho para a própria saúde e as próprias necessidades.

As mães são fortes, mas também estão vulneráveis às doenças, muitas vezes resultantes da sobrecarga que o papel impõe.

Neste artigo, você conhecerá especificamente algumas informações referentes à saúde cardiovascular para gestantes e mulheres de modo geral.

 

Boa leitura.

 

Saúde cardiovascular e o público feminino

As doenças cardiovasculares estão cada vez mais frequentes na atualidade, e o mais curioso é que as mulheres já são tão propensas a esses quadros clínicos quanto os homens. Para algumas patologias, o número de mulheres acometidas chega a ser superior ao índice encontrado para o público masculino, como é o caso do infarto do miocárdio, no qual o percentual é de 19% nas mulheres e 13,7% nos homens.

Algumas mulheres podem não levar a sério os sintomas, principalmente em sua fase inicial. Isto pode ser justificado pelo fato delas priorizarem a atenção com aqueles que estão ao seu redor, e que precisam de seus cuidados, em detrimento delas próprias.

 

Os sintomas cardíacos podem ser diferentes para mulheres e homens

Nos homens, por exemplo, o sintoma de pressão no peito frequentemente é manifestado como um aperto que começa no tórax e migra para o braço, através de um formigamento. Para as mulheres a pressão no peito pode ser percebida como uma queimação que resulta em cansaço, a qual pode ser confundida com ansiedade ou excesso de preocupações diárias, no entanto, quando este sintoma é diário, é hora realizar um check-up.

Dor nas costas, no pescoço, nos ombros, no abdômen superior (acima do umbigo) e na mandíbula também pode indicar um sinal de doença cardíaca em mulheres. No caso da cor nas costas, é comum que haja confusão com problemas de coluna ou osteoporose, para tirar a dúvida, uma consulta com o médico é a solução. Dores nas costas, na mandíbula e no pescoço estão mais associados aos problemas cardíacos em mulheres do que em homens.

Homens com problemas cardíacos tendem a manifestar desmaios espontâneos. Para a mulher, há pequenas vertigens que muitas vezes são desconsideradas.

Sensação de estômago pesado e acidez recorrente que pode terminar em vômitos, também são manifestações bastante frequentes de uma provável doença cardiovascular. Procurar um médico é imprescindível para descartar a possibilidade de outras doenças, tais como refluxo gástrico.

 

Saúde cardiovascular na gravidez

As mulheres, durante a gravidez, parto ou puerpério, apresentam um risco maior para desenvolver doenças cardíacas. Esse risco ainda teria aumentado em torno de 25 % entre os anos de 2002 a 2014, segundo um artigo norte-americano publicado no periódico científico Mayo Clinics Proceedings, no ano passado (2018).

Durante a gravidez, o coração trabalha de modo mais intenso, somado a isso alguns fatores de risco tem demonstrado grande influência sobre a manifestação de doenças cardíacas.

Neste estudo, foi demonstrado que as gestantes na faixa etária compreendida entre 35 a 39 anos apresentam cinco vezes mais chances de problemas cardíacos do que as mulheres de 20 e poucos anos, por exemplo.

Fatores prejudiciais à qualidade de vida (tais como sedentarismo, má alimentação, tabagismo, estresse cotidiano e obesidade) também impactam significativamente na saúde cardíaca das futuras mamães.

Mulheres que já apresentam alguma cardiopatia devem ter em mente que a sua gestação poderá ser considerada de risco, tanto para elas, quanto para o bebê. É muito importante que aquelas que desejam engravidar realizem anteriormente uma avaliação cardiológica.

À medida que a gravidez progride, a demanda do coração aumenta, assim como aumenta durante o trabalho de parto.

Uma doença cardiovascular na gestação pode resultar em prematuridade do feto, assim como na geração de crianças que também apresentem deficiências cardíacas. Todavia, em algumas situações, isto não ocorre.

Caso haja cardiopatia já instalada ou tendência para o quadro, o acompanhamento por um cardiologista é indispensável durante a gravidez.

 

Prevenção de doenças cardiovasculares

É comum vermos periodicamente campanhas a favor da realização de exames ginecológicos, no entanto, a mesma atenção não é dada aos exames cardiológicos para mulheres.

Exames cardiológicos que podem ser feitos como rotina incluem o eletrocardiograma (para avaliar o ritmo do coração e investigar arritmias), Raio-X de tórax (para analisar o contorno do coração e da artéria aorta) e MAPA (destinado a monitorar a pressão arterial por um período de 24 horas).

O exame de Raio-X é um dos serviços oferecidos pela Vérita Diagnóstico.

Além da realização de exames, é importante que, independente de situação de gravidez, haja adoção de hábitos de vida saudáveis. Neste quesito, inclui-se a prática de atividades físicas regulares (no caso de gestantes, as atividades mais indicadas são as aeróbicas, tais como caminhada); uma dieta equilibrada, com consumo de bastante frutas, verduras e boa ingestão de água; o cumprimento das 8 horas diárias de sono; e a procura por alternativas que visem a redução do estresse.

Para as mamães e futuras mamães, é importante ter a consciência de que tão necessário quanto criar os filhos de forma saudável e com bons valores, é cuidar da sua própria saúde e não negligenciar pequenos sinais emitidos pelo organismo.

*

Sabendo da importância da educação em saúde como forma de prevenção, nossa equipe trouxe este artigo até você.

Prezamos pela sua qualidade de vida para desfrutar verdadeiramente das boas experiências da maternidade.

Caso queira conhecer os serviços da Vérita Diagnóstico, ou marcar exames especializados ligue (54) 3011-0092.

Conte conosco.

Estaremos aguardando a sua visita.

 

Aqui no blog também há postagens sobre outros temas da área da saúde. Fique à vontade para conhecer nossos artigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *