Horário de Atendimento : Seg. a Sex.: 7h - 12h e 13 - 18h. Sáb.: 8h - 12h
  Contato : (54) 3011-0092

f2-large_-848x518

Você já sentiu essas reações? Reconheça os sinais que o corpo dá e identifique um AVC

AVC é a sigla utilizada para designar Acidente Vascular Cerebral, quadro clínico também conhecido como Acidente Vascular Encefálico (AVE) ou derrame.

Para entender um pouco mais sobre o AVC, é importante considerar que existem dois tipos: o AVC isquêmico e o AVC hemorrágico.

No AVC isquêmico, ou AVCI, ocorre a obstrução de uma artéria e consequente falta suprimento sanguíneo para uma determinada área do cérebro. Já no AVC hemorrágico, ou AVCH, há o rompimento de um vaso sanguíneo gerando hemorragia no local.

Além dos dois tipos principais, episódios de AVC cujos sintomas têm duração inferior a 24 horas são classificados como ataque isquêmico transitório (AIT). Nesses casos, a obstrução da artéria dura alguns minutos ou algumas horas, tempo proporcional à duração dos sintomas. No entanto, indivíduos que manifestaram um AIT possuem mais chance de desenvolver um AVC nos meses seguintes, logo é imprescindível recorrer a atendimento médico especializado.

O que pode causar um AVC? Quais os seus fatores de risco?

No AVC isquêmico há uma correlação muito forte à inflamações, acúmulo de gordura na parede dos vasos sanguíneos (aterosclerose) e formação de coágulos, os quais ao entrarem na circulação sanguínea obstruem vasos de menor diâmetro.

O AVC hemorrágico, por sua vez, possui uma forte correlação à hipertensão arterial, doenças cardíacas e inflamação dos vasos sanguíneos. Indivíduos com histórico de arritmias cardíacas, insuficiência cardíaca, infarto agudo do miocárdio, endocardites, entre outros fatores clínicos, são considerados grupo de risco, demandando maior atenção médica.  

Fatores de risco para os dois quadros incluem idade avançada, sobrepeso, sedentarismo, histórico familiar, hábitos comportamentais relacionados ao tabagismo e alcoolismo, e doenças crônicas de base tais como a hipertensão arterial e diabetes. Indivíduos do sexo masculino também possuem maior predisposição a desenvolver episódios de AVC.

Como identificar um AVC?

Como os sintomas do AVC variam de acordo com a região do cérebro que foi afetada, eles podem se manifestar em modalidades muito distintas, seja através de dores de cabeça, alterações na fala, na face, na força muscular ou na visão. Essas alterações podem ser expressas isoladamente ou em conjunto.

Sinais de alteração na face

Os sinais mais evidentes de um AVC se manifestam na face. Eles estão diretamente relacionados à assimetria, ou seja, paralisia de um dos lados do rosto, pálpebra caída unilateralmente e boca torta unilateralmente.

Esses sinais são mais nítidos quando a pessoa sorri.

Sinais de alteração na fala

Um indivíduo com AVC frequentemente apresenta um discurso confuso, assim como uma fala estranha e de difícil compreensão. Da mesma forma, ele pode apresentar dificuldade em compreender frases.

Sinais de alteração de força muscular

Essa alteração está relacionada à perda repentina da força muscular em um braço ou uma perna, assim como à perda de equilíbrio postural do corpo.

Uma dica valiosa para avaliar essa perda de força muscular é pedir para a pessoa levantar um dos braços. Caso haja dificuldade na realização deste movimento ou um dos braços caia em seguida, isso pode ser um indicativo de AVC.

Sinais de alteração na visão

É provável que ocorra perda repentina da visão de um ou ambos os lados, assim como manifestações mais leves tais como visão dupla ou turva.

Dores de cabeça

A dor de cabeça de um AVC é caracterizada por ser intensa e sem motivo aparente. O início é súbito, assim como a maioria dos demais sintomas.

Vertigem

Sensação de tontura, associada a náuseas e vômitos também são característicos de um quadro de AVC. Como esses sinais e sintomas são relativamente abrangentes, eles se tornam representativos quando estão associados aos demais sintomas descritos acima.

Qual AVC é o mais comum, o tipo hemorrágico ou isquêmico?

O AVC isquêmico é o mais comum além de manifestar os sintomas mais característicos tais como a paralisia facial e perda de força em um dos lados do corpo.

Quanto tempo demora para se recuperar de um AVC?

Analisando fatores como o tipo de AVC; o estado de saúde do indivíduo antes da manifestação dos sintomas; o tamanho e localização da área do cérebro afetada, torna-se importante considerar que cada caso é único, logo o tempo de recuperação também é variável.

O tempo de recuperação costuma ser lento. No entanto, em média, 30% do público afetado já apresenta alguma melhora no primeiro mês.

Os sintomas de um AVC podem deixar sequelas?

Lesões cerebrais em longo prazo são mais comuns quando o atendimento médico não é realizado imediatamente à identificação dos sintomas.

Pouco tempo após a manifestação dos sintomas, as células cerebrais começam a morrer, no entanto, caso a circulação sanguínea não esteja completamente interrompida, essas células podem permanecer vivas por mais algumas horas.

O tratamento imediato reduz a chance de sequelas.

Como proceder ao perceber sinais e sintomas de um AVC?

Ao identificar sinais e sintomas de um AVC, procure o serviço de urgência ou ligue 192.

Chamar o serviço de resgate, nestes casos, ainda é mais apropriado do que encaminhar o cliente de ônibus ou carro, pois na ambulância alguns cuidados necessários, tais como a oxigenação, já podem ser realizados durante o trajeto.

Existem exames de imagem que auxiliam no diagnóstico de AVC?

 

Sim. O cliente quando dá entrada ao serviço de urgência com sinais e sintomas sugestivos de AVC recebe os atendimentos iniciais e, durante a internação, o médico poderá solicitar exames de diagnóstico por imagem que atestam a natureza do quadro clínico, a fim de identificar se o mesmo é isquêmico ou hemorrágico.

 

É importante considerar que o diagnóstico do AVC é formulado já na avaliação clínica. Os exames de imagem são uma importante ferramenta complementar solicitada pelo médico. Alguns desses exames incluem a tomografia computadorizada e ultrassonografia, serviços oferecidos pela Vèrita.

 

Para finalizar

O passo-a-passo para o reconhecimento rápido de um AVC pode ser sintetizado pela sigla SAMU, na qual:

S significa sorriso. Ao pedir para a pessoa sorrir, caso a boca fique torta pode ser um AVC.

A significa abraço. Peça para a pessoa levantar os braços, caso não consiga sustentar um deles, pode ser um AVC.

M significa mensagem. Peça para a pessoa repetir uma mensagem ou frase qualquer, ao verificar dificuldade de compreensão e fala desconexa, pode ser um AVC.

U significa urgência. Na constatação de qualquer um desses sinais e sintomas, considerados os mais representativos da patologia, procure atendimento médico.

 

Repasse essas informações adiante e contribua para a prevenção em saúde.

Caso queira agendar exames especializados ligue (54) 3011-0092.

Estaremos aguardando a sua visita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *