Horário de Atendimento : Seg. a Sex.: 7h - 12h e 13 - 18h. Sáb.: 8h - 12h
  Contato : (54) 3011-0092 e WhatsApp (54) 99194-0757

Todos os Posts da Categoria: Prevenção

Novidades no tratamento do câncer de mama: entenda porque muitas mulheres não precisarão mais de quimioterapia

Neste último dia 08 de Abril (segunda-feira) foi comemorado o dia mundial de luta contra o câncer, e nada melhor para comemorar a data do que esta boa notícia: novas alternativas à quimioterapia já estão sendo estudadas e implementadas. A novidade foi divulgada no ano passado (2018) no maior congresso oncológico do mundo realizado em Chicago, nos Estados Unidos, e publicado em uma revista científica internacional.

O câncer de mama é o tipo de câncer que mais acomete mulheres em todo o mundo. Muitos fatores de risco estão associados à doença, tais como idade superior aos 50 anos, hereditariedade, história reprodutiva, exposição contínua a radiações ionizantes (ou produtos tóxicos) e alcoolismo.

Em relação à história reprodutiva, estão inclusos fatores como a primeira menstruação antes dos 12 anos de idade, o uso de contraceptivos hormonais, gravidez após os 30 anos ou ausência de gravidez e menopausa após os 55 anos.

O câncer de mama resultante de fatores genéticos e hereditários é responsável por apenas 5 a 10 % das ocorrências da doença.

Como todo tipo de câncer, o câncer de mama apresenta estágios, e , dependendo do estágio de evolução, um tratamento específico poderá ser indicado, a exemplo das cirurgias, quimioterapia, hormonioterapia, imunoterapia e radioterapia. Algumas circunstâncias demandam combinação entre duas modalidades de tratamento, no entanto a cirurgia é uma indicação geral para todos os casos.

A quimioterapia, mais precisamente, pode gerar inúmeros efeitos colaterais, dentre eles a perda de cabelo, náuseas, vômito e dores, o que ocasiona um desconforto extra associado à convivência com a doença.

Neste artigo, você conhecerá um pouco mais sobre o câncer de mama e sobre esta grande novidade referente às suas novas possibilidades de tratamento para aqueles pacientes que teriam de se submeter à quimioterapia.

Boa leitura.

 

Considerações gerais sobre o câncer

Câncer é uma condição patológica caracterizada pelo crescimento desordenado de células, as quais podem invadir tecidos e órgãos, dividindo-se rapidamente de forma agressiva e incontrolável. Essa atividade acelerada das células contribui para a formação dos tumores.

Dependendo da localização primária na qual esses tumores estejam ‘instalados’, o câncer é classificado como pertencente a um tipo específico, a exemplo do câncer de próstata, câncer de pulmão, câncer de fígado entre outros.

 

Sintomas específicos do câncer de mama e métodos para o diagnóstico

O autoexame regular de mama é uma forma eficaz de perceber alterações na mama ainda no seu estágio inicial. Essas alterações podem ser vermelhidão ou pele mais enrijecida, alteração na coloração e no formato da auréola, presença de nódulo indolor, liberação de líquido pelo mamilo, aumento da temperatura das mamas, crostas ou feridas e presença de veias perceptíveis.

Os sintomas podem surgir de modo isolado ou em conjunto. Na detecção de qualquer um desses sintomas, deve-se procurar o médico mastologista para , com auxílio dos exames, obter o diagnóstico preciso do caso. Em algumas circunstâncias, pode ser um nódulo benigno ou inflamação de algum tecido mamário, casos que também demandam tratamento/intervenção, embora de modo menos invasivo e agressivo.  

A confirmação do câncer de mama ocorre por meio do exame clínico das mamas, associado a exames de imagem como a mamografia, ultrassonografia e ressonância magnética. Dentre estes, a ultrassonografia mamária e mamografia são ofertados pela Vérita diagnósticos. No entanto, a confirmação só é realizada por meio de biópsia, ou seja, retirada de um fragmento do nódulo suspeito, através de punções com a agulha ou de pequenas cirurgias.

Em relação aos tecidos atingidos pelo câncer de mama, pode haver acometimento dos ductos, lobos e glândulas mamárias, de forma in situ ou invasiva. Quando o câncer se manifesta na auréola em torno dos mamilos, o quadro é chamado de Doença de Paget. Conforme a extensão do acometimento das células patológicas, o câncer é dividido em 4 estágios.

Quando o câncer de mama está em estágio mais avançado, além da intensificação dos sintomas específicos, há dores ósseas, perda de apetite, fraqueza muscular e dor de cabeça intensa. Esses sintomas são causados pela metástase das células malignas para outros órgãos do corpo, tais como pulmões e cérebro.

 

Um pouco mais sobre o estudo que aponta alternativas à quimioterapia

O estudo mencionado no início do artigo foi iniciado no ano de 2006 e financiado pelo governo americano, governo canadense e algumas entidades filantrópicas. Neste estudo, foram avaliadas 10.273 mulheres com idade compreendida entre 18 e 75 anos, e avaliadas por meio de um teste genético que possibilita descobrir se as chances de reincidência após o tratamento são baixas, intermediárias ou altas.  

Segundo os parâmetros deste teste genético, as pacientes com risco considerado intermediário ou baixo poderiam ser poupadas da quimioterapia e tratadas apenas com hormonioterapia.

Em termos gerais, a quimioterapia ainda é indicada para a maioria dos casos de modo a tratar a doença e prevenir sua reincidência nos 3 anos seguintes ao tratamento. No entanto, com a aplicação deste teste aproximadamente 70% das mulheres poderão evitar a quimioterapia e seus efeitos colaterais.

Aqui no Brasil, o teste já está disponível, porém, não é oferecido pelo SUS e possui um valor bastante elevado, equivalente a aproximadamente 12 mil reais, ou seja, infelizmente ainda é inviável para a maioria da população.

 

Considerações finais

O câncer de mama é o tipo de câncer que mais atinge as mulheres e está relacionado a uma diversidade de fatores de risco. Possui sintomas específicos relacionados às alterações nas mamas. O diagnóstico é clínico, através de exames de imagem e de biópsia. O tratamento pode ser através de cirurgia, quimioterapia, radioterapia, imunoterapia e hormonioterapia. A quimioterapia, no entanto, implica em muitos efeitos colaterais, porém, pode ser evitada por meio da realização de um teste genético que mede o risco de reincidência da doença. Infelizmente, este teste ainda não é disponibilizado pelo SUS.

*

Sabendo da importância da conscientização sobre o câncer é que trouxemos este artigo até você.

Na Vérita diagnósticos estamos sempre preocupados em trazer a você informações que assegurem a saúde e o bem-estar em caráter integral.

Caso queira conhecer nossos serviços, ou marcar exames especializados ligue (54) 3011-0092.

Conte conosco.

Estaremos aguardando a sua visita.

Mais Informações

Tuberculose: Quais são os primeiros sintomas da tuberculose e o que fazer?

Dores no peito, tosse com mais de 3 semanas, falta de ar, perda de peso e cansaço excessivo, febre baixa (principalmente durante a noite), sudorese noturna e perda de apetite são os principais sintomas da tuberculose.

No entanto, é importante saber que há muitos casos nos quais não há manifestação de nenhum sintoma, visto que não existe tuberculose apenas na forma pulmonar, e essa infecção pode ser instalar em outros órgãos/ estruturas, tais como ossos, linfonodos, sistema nervoso, intestino e sistema genitourinário.

A tuberculose é uma doença de grande incidência no Brasil, visto que anualmente são notificados cerca de 70 mil casos novos.

Neste artigo, você entenderá um pouco mais sobre os sintomas iniciais da doença, assim como fatores relacionados à transmissão e prevenção.

 

Tuberculose: Qual o agente causador?

A tuberculose é causada por uma bactéria, mais precisamente uma micobactéria (ou seja, bactéria na forma de bastonete reto ou curvado), chamada Bacilo de Koch (BK).

O Bacilo de Koch foi descoberto no ano de 1882, pelo médico patologista Robert Koch.

 

Tuberculose: Como ocorre a transmissão?

A modalidade de transmissão da tuberculose é classificada como transmissão direta, ou seja, através do contágio de pessoa para pessoa.

O bacilo da tuberculose é expelido através da fala, tosse e do espirro; sendo que essas últimas formas de contaminação são as mais prováveis, visto que há certo movimento de propulsão vindo do pulmão.

Essas gotículas de saliva expelidas ficam em suspensão no ambiente na forma de aerossóis, sendo que dessa forma podem ser facilmente inaladas por outras pessoas, gerando a contaminação. Em ambientes fechados e não arejados, o bacilo pode sobreviver por um período de tempo de até 8 horas.

Apenas pessoas com tuberculose nas formas pulmonar e laríngea, podem transmitir a doença.

Estimativas do Ministério da Saúde indicam que, dentro de 1 ano, um indivíduo com baciloscopia (exame para tuberculose) positiva inserido em uma comunidade é capaz de infectar uma média de 10 a 15 pessoas. No entanto, essa estimativa não é cumprida caso o tratamento seja precoce, ou seja, no início da manifestação dos sintomas, visto que após o início do tratamento, a transmissão diminui progressivamente.

 

Tuberculose: Quais os prováveis fatores de risco?

É muito grande a chance de que alguém entre em contato com o bacilo da tuberculose (através da inalação de partículas infecciosas) e não desenvolva a doença, deixando a bactéria em estado de incubação.

Por outro lado, indivíduos com o sistema imune debilitado possuem uma grande probabilidade em desenvolver a infecção. O tempo estimado para manifestação dos primeiros sintomas varia em torno de 4 a 12 meses.  

Fatores de risco para o desenvolvimento da infecção incluem o uso de drogas, alcoolismo, tabagismo, desnutrição , infecção pelo HIV e diabetes.  

Pacientes infectados pelo vírus do HIV tem mais chance em desenvolver a tuberculose nas formas extrapulmonares.

Crianças e idosos por apresentarem o sistema imune mais frágil devem estar ainda particularmente mais atentos aos sintomas, de modo a iniciar o tratamento rapidamente.

 

Tuberculose: Os sintomas

A tosse talvez seja o sintoma mais conhecido da doença. Ela torna-se um fator preocupante e indicativo quando é bastante frequente e excede o período de 3 semanas. Em relação ao tipo de tosse, não há um padrão definido, pois esta pode ser seca (ou seja, sem secreção), produtiva (com secreção), sanguinolenta ou pio-sanguinolenta (sangue com secreção purulenta). Em alguns casos, a tosse pode evoluir de um tipo a outro.

Essa tosse pode ser intensificada caso o indivíduo seja um fumante, visto que as substâncias nocivas do cigarro tem a capacidade de aumentar o volume de muco produzindo pelos brônquios. Esse excesso de muco irrita as mucosas  estimulando, por consequência, o reflexo da tosse.

A tosse é uma manifestação característica da tuberculose pulmonar. No entanto, quando a infecção atinge outros órgãos e há manifestação dos sintomas, estes incluem inchaço e dor na região afetada.

Para os casos de tuberculose pulmonar, também há sensação de dor torácica, cansaço (muito associado à dor e ao comprometimento pulmonar) e dispnéia (ou seja, dificuldade para respirar). A febre é um sintoma não tão frequente, porém quando se manifesta é preferencialmente no período da tarde. O indivíduo com tuberculose também apresenta a tendência em emagrecer repentinamente e sem causa aparente.

 

Tuberculose: O que fazer ao detectar os sintomas?

Ao detectar os sintomas, é importante agendar consulta médica para investigar melhor o quadro.

O médico analisará o relato dos sintomas e solicitará exames comprobatórios, os quais, de acordo com o Ministério da Saúde, podem ser bacteriológicos, como a baciloscopia, o teste molecular para tuberculose ou a cultura para micobactéria; ou de imagem, tais como o Raio-X de tórax que atua em caráter complementar. É importante saber que, mesmo o Raio-X sendo um exame complementar, ele sempre deve ser realizado para os casos suspeitos de tuberculose pulmonar.

 

Tuberculose: Como ocorre o tratamento?

O tratamento da tuberculose obedece a um protocolo de antibióticos estabelecido pelo Ministério da Saúde. Esses antibióticos devem ser ingeridos diariamente por um período mínimo de 6 meses.

O tratamento deve ser assíduo. Caso seja interrompido ou abandonado, há um grande risco para o desenvolvimento de resistência bacteriana, fator que implica no uso de antibióticos mais fortes.

Aliado ao tratamento está a investigação dos familiares e todas as pessoas que convivem diretamente com a pessoa infectada, de modo a identificar se algum deles possui os sintomas característicos.

 

Tuberculose: Existe alguma prevenção?

Sim. A vacina BCG, indicada do nascimento até antes dos 5 anos de idade completos, é a medida de controle mais conhecida. Caso seja administrada ao nascer, não deve ser aplicada em recém-nascidos prematuros até que estes atinjam 2 quilos.

Medidas de controle para atenuar a possibilidade de transmissão incluem utilizar máscaras para evitar a propagação de aerossóis, ou simplesmente cobrir a boca com um lenço ao tossir.

Portadores do bacilo devem permanecer em locais ventilados e com incidência de raios solares. A luz natural direta prejudica e danifica o bacilo, espaços bem ventilados possibilitam a dispersão de partículas infectantes.

*

Aproveite essas informações de utilidade pública e repasse o conhecimento adiante. Lembre-se que a saúde começa na educação e prevenção.

 

Na Vérita diagnósticos estamos sempre preocupados em trazer a você informações que assegurem a saúde e o bem-estar em caráter integral.

Caso queira conhecer nossos serviços, ou marcar exames especializados ligue (54) 3011-0092.

Conte conosco.

Estaremos aguardando a sua visita.

Mais Informações

Como manter a alimentação saudável nos meses mais frios?

O inverno do sul e sudeste do Brasil é uma estação naturalmente fria, que pode ser desconfortável para alguns e aconchegante para outros. Nesta estação também ocorre uma mudança sutil nos hábitos alimentares.

É natural que nos meses mais frios haja opção pelos alimentos mais quentes e, muitas vezes com textura cremosa e/ou líquida, também é natural que a sensação de fome seja maior, pois para manter o organismo aquecido é necessário um maior gasto energético.

Ao pensar em alimentação para o clima frio, logo vêm à mente, alimentos mais gordurosos como caldos e sopas extremamente condimentadas; assim como alimentos extremamente calóricos, a exemplo do chocolate quente. Porém, é possível manter uma alimentação saudável em meses frios, utilizando essas mesmas opções de receitas, desta vez com ingredientes alternativos e mais saudáveis.

Antes das receitas, confira algumas dicas gerais sobre alimentação para o inverno:

 

Dica 1: Invista em alimentos termogênicos

Esses alimentos possuem como propriedade acelerar o metabolismo, por meio do aumento da temperatura corporal. Nesta categoria estão inclusos a canela, o gengibre, o café, a pimenta vermelha, a cebola, a páprica, o chá verde, o vinagre de maçã, o chá de hibisco, dentre outros.

A canela pode ser adicionada a frutas, vitaminas e mingaus. O gengibre possui uma aplicabilidade bem ampla e pode ser associado a sucos detox ou suco comum de frutas, assim como pode ser adicionado em raspas na salada. A pimenta vermelha é um ótimo condimento para carnes, sopas e cozidos.

O café é um grande coringa e aliado em climas mais frios, no entanto, seu consumo deve ser evitado por pessoas que sofrem com crises de ansiedade e pânico, assim como quadros de gastrite. O chá verde, assim como o café, contém uma elevada concentração de cafeína, portanto, deve ser consumido com moderação na quantidade máxima de 4 xícaras ao dia, ou seja, de 600 ml.

O chá de hibisco contém em sua composição várias substâncias com propriedades antioxidantes, cardioprotetoras e vasodilatadoras, ou seja, um excelente aliado também no emagrecimento e manutenção de um estado favorável de saúde.

 

Dica 2: Mantenha-se bem hidratado

Apesar de não sentirmos tanta sede no inverno quanto no verão, o consumo regular de água deve ser mantido.

A água desempenha um papel fundamental na saúde do organismo, inclusive atuando na regulação da temperatura corporal, proporcionando um funcionamento satisfatório para os rins e hidratando a pele e células de um modo geral.

Além da necessidade de ingerir bastante água, também é possível aplicar a dica para sucos naturais e chás termogênicos, a exemplo do chá de hibisco e chá verde citados acima.

 

Dica 3: Use e abuse das frutas

As frutas são aliadas para uma alimentação saudável em qualquer época do ano. O consumo delas auxilia inclusive a manter a dieta balanceada, visto que muitas delas representam uma alternativa aos carboidratos convencionais.

A dica, principalmente para o inverno, é optar por frutas frescas e próprias da estação, a exemplo da banana, abacate, caqui, carambola, figo, goiaba,bergamota, entre outras opções.

 

Dica 4: Pratique atividade física

Assim como uma alimentação regular, e uma boa ingestão hídrica, a atividade física também auxilia a elevar a temperatura corporal, porém realizá-la em períodos frios é extremamente desafiador.  No inverno, a tendência é querer ficar embaixo das cobertas durante o dia todo, no entanto, é necessário fazer um pequeno esforço para superar esta tendência natural.

Uma boa opção é realizar atividades em ambiente fechado, a exemplo de práticas como aula de dança, corrida na esteira, artes marciais, dentre outras modalidades. Para quem prefere atividades ao ar livre, pode escolher horários do dia nos quais a temperatura esteja tolerável.

Um fator muito importante é que aquelas pessoas com hábitos sedentários devem, preferencialmente, visitar um médico antes da prática de qualquer modalidade por conta própria.  

 

*

Definidas as dicas principais dicas referentes à alimentação e hábitos saudáveis, confira algumas receitas para esta época de frio:

 

Receita 1: Caldo de frango com legumes e batata doce

Esta é uma variação da tradicional receita de canja de galinha. A combinação dos elementos possibilita que seja uma receita extremamente proteica, nutritiva, rica em vitaminas A e C, com propriedades relacionadas à melhora do sistema imunológico, fortalecimento muscular e melhora das funções cognitivas.

Aqui estão os ingredientes:

  • 200 gramas de carne de frango (peito) cortada em cubos;
  • 1 fio de azeite de oliva extravirgem;
  • 2 batatas-doce descascadas e cortadas em rodelas;
  • 1 pacote de ervilhas;
  • 1 cebola picada em cubos;
  • 1 tomate sem casca cortado em pedaços grandes;
  • Quantidades pequenas (pitadas) de sal, páprica, salsa e manjericão.

O modo de preparo é bastante simples: em uma panela aqueça um pouco de azeite extravirgem, acrescentando cebola e páprica (lembrando que estes alimentos possuem potencial termogênico). Após esta etapa, adicione o tomate, assim como um pouco de sal (à gosto) e manjericão. Nesse caldo, também são acrescentados a batata-doce, assim como frango e ervilhas.

Após o cozimento, o toque final é salpicar algumas folhas de salsa.

Esse prato deve ser servido, preferencialmente, quente, já que entra na proposta de alimentação saudável para o inverno.  

 

Receita 2: Chocolate quente com gengibre

Esta segunda receita na categoria de sobremesa ou lanche da tarde. Apesar de relativamente calórica, possui como diferencial a presença de dois ingredientes considerados termogênicos, no caso o gengibre e a canela, além de contar com a utilização de leite desnatado.

Os ingredientes são:

  • 90 gramas de chocolate meio amargo picado;
  • 2 colheres (chá) de cacau em pó;
  • 3 xícaras (sopa) de leite desnatado;
  • 3 colheres (sopa) açúcar-mascavo;
  • 2 pedaços de canela em pau;
  • 1 colher (chá) de gengibre picado;
  • ½ colher (chá) cardamomo seco;
  • ½ colher (chá) pimenta-do-reino em grão;
  • 1 pitada de sal.

Para o preparo, todos os ingredientes devem ser adicionados em uma panela e aquecidos em fogo médio, até que o chocolate meio amargo derreta por completo, esse processo dura em torno de 3 minutos. Após esta etapa, aumente a intensidade do fogo e mexa por mais 7 minutos. Quando a panela for retirada do fogo, deve ser tampada e deixada em repouso para esfriar durante 10 minutos.

A mistura obtida na panela deve ser peneirada e transferida para um copo medidor de vidro.

Segundo a concentração dos ingredientes descritos aqui, este chocolate quente rende porções para 4 canecas. Uma boa opção é servi-lo em garrafas térmicas de modo que ele seja mantido morno.

Pode ser conservado na geladeira por até 4 dias, e, para reaquece-lo, basta 1 minuto no micro-ondas em potência alta.

 

Considerações Finais

Essas duas sugestões de receitas acima podem ser adaptadas, e são apenas alguns exemplos entre variadas opções.

Resumindo as idéias apresentadas, é importante lembrar que:

  • As refeições nos meses mais frios devem conter ingredientes de caráter termogênico;
  • As frutas devem ser consumidas regularmente;
  • Uma boa ingestão hídrica também é indispensável;
  • A prática regular de atividades físicas age em caráter complementar a uma boa alimentação.

Na Vérita estamos sempre preocupados em trazer a você informações que assegurem a saúde e o bem-estar em caráter integral.

Caso queira conhecer nossos serviços, ou marcar exames ligue (54) 3011-0092.

 

Conte conosco.

Estaremos aguardando a sua visita

Mais Informações
f2-large_-848x518

Você já sentiu essas reações? Reconheça os sinais que o corpo dá e identifique um AVC

AVC é a sigla utilizada para designar Acidente Vascular Cerebral, quadro clínico também conhecido como Acidente Vascular Encefálico (AVE) ou derrame.

Para entender um pouco mais sobre o AVC, é importante considerar que existem dois tipos: o AVC isquêmico e o AVC hemorrágico.

No AVC isquêmico, ou AVCI, ocorre a obstrução de uma artéria e consequente falta suprimento sanguíneo para uma determinada área do cérebro. Já no AVC hemorrágico, ou AVCH, há o rompimento de um vaso sanguíneo gerando hemorragia no local.

Além dos dois tipos principais, episódios de AVC cujos sintomas têm duração inferior a 24 horas são classificados como ataque isquêmico transitório (AIT). Nesses casos, a obstrução da artéria dura alguns minutos ou algumas horas, tempo proporcional à duração dos sintomas. No entanto, indivíduos que manifestaram um AIT possuem mais chance de desenvolver um AVC nos meses seguintes, logo é imprescindível recorrer a atendimento médico especializado.

O que pode causar um AVC? Quais os seus fatores de risco?

No AVC isquêmico há uma correlação muito forte à inflamações, acúmulo de gordura na parede dos vasos sanguíneos (aterosclerose) e formação de coágulos, os quais ao entrarem na circulação sanguínea obstruem vasos de menor diâmetro.

O AVC hemorrágico, por sua vez, possui uma forte correlação à hipertensão arterial, doenças cardíacas e inflamação dos vasos sanguíneos. Indivíduos com histórico de arritmias cardíacas, insuficiência cardíaca, infarto agudo do miocárdio, endocardites, entre outros fatores clínicos, são considerados grupo de risco, demandando maior atenção médica.  

Fatores de risco para os dois quadros incluem idade avançada, sobrepeso, sedentarismo, histórico familiar, hábitos comportamentais relacionados ao tabagismo e alcoolismo, e doenças crônicas de base tais como a hipertensão arterial e diabetes. Indivíduos do sexo masculino também possuem maior predisposição a desenvolver episódios de AVC.

Como identificar um AVC?

Como os sintomas do AVC variam de acordo com a região do cérebro que foi afetada, eles podem se manifestar em modalidades muito distintas, seja através de dores de cabeça, alterações na fala, na face, na força muscular ou na visão. Essas alterações podem ser expressas isoladamente ou em conjunto.

Sinais de alteração na face

Os sinais mais evidentes de um AVC se manifestam na face. Eles estão diretamente relacionados à assimetria, ou seja, paralisia de um dos lados do rosto, pálpebra caída unilateralmente e boca torta unilateralmente.

Esses sinais são mais nítidos quando a pessoa sorri.

Sinais de alteração na fala

Um indivíduo com AVC frequentemente apresenta um discurso confuso, assim como uma fala estranha e de difícil compreensão. Da mesma forma, ele pode apresentar dificuldade em compreender frases.

Sinais de alteração de força muscular

Essa alteração está relacionada à perda repentina da força muscular em um braço ou uma perna, assim como à perda de equilíbrio postural do corpo.

Uma dica valiosa para avaliar essa perda de força muscular é pedir para a pessoa levantar um dos braços. Caso haja dificuldade na realização deste movimento ou um dos braços caia em seguida, isso pode ser um indicativo de AVC.

Sinais de alteração na visão

É provável que ocorra perda repentina da visão de um ou ambos os lados, assim como manifestações mais leves tais como visão dupla ou turva.

Dores de cabeça

A dor de cabeça de um AVC é caracterizada por ser intensa e sem motivo aparente. O início é súbito, assim como a maioria dos demais sintomas.

Vertigem

Sensação de tontura, associada a náuseas e vômitos também são característicos de um quadro de AVC. Como esses sinais e sintomas são relativamente abrangentes, eles se tornam representativos quando estão associados aos demais sintomas descritos acima.

Qual AVC é o mais comum, o tipo hemorrágico ou isquêmico?

O AVC isquêmico é o mais comum além de manifestar os sintomas mais característicos tais como a paralisia facial e perda de força em um dos lados do corpo.

Quanto tempo demora para se recuperar de um AVC?

Analisando fatores como o tipo de AVC; o estado de saúde do indivíduo antes da manifestação dos sintomas; o tamanho e localização da área do cérebro afetada, torna-se importante considerar que cada caso é único, logo o tempo de recuperação também é variável.

O tempo de recuperação costuma ser lento. No entanto, em média, 30% do público afetado já apresenta alguma melhora no primeiro mês.

Os sintomas de um AVC podem deixar sequelas?

Lesões cerebrais em longo prazo são mais comuns quando o atendimento médico não é realizado imediatamente à identificação dos sintomas.

Pouco tempo após a manifestação dos sintomas, as células cerebrais começam a morrer, no entanto, caso a circulação sanguínea não esteja completamente interrompida, essas células podem permanecer vivas por mais algumas horas.

O tratamento imediato reduz a chance de sequelas.

Como proceder ao perceber sinais e sintomas de um AVC?

Ao identificar sinais e sintomas de um AVC, procure o serviço de urgência ou ligue 192.

Chamar o serviço de resgate, nestes casos, ainda é mais apropriado do que encaminhar o cliente de ônibus ou carro, pois na ambulância alguns cuidados necessários, tais como a oxigenação, já podem ser realizados durante o trajeto.

Existem exames de imagem que auxiliam no diagnóstico de AVC?

 

Sim. O cliente quando dá entrada ao serviço de urgência com sinais e sintomas sugestivos de AVC recebe os atendimentos iniciais e, durante a internação, o médico poderá solicitar exames de diagnóstico por imagem que atestam a natureza do quadro clínico, a fim de identificar se o mesmo é isquêmico ou hemorrágico.

 

É importante considerar que o diagnóstico do AVC é formulado já na avaliação clínica. Os exames de imagem são uma importante ferramenta complementar solicitada pelo médico. Alguns desses exames incluem a tomografia computadorizada e ultrassonografia, serviços oferecidos pela Vèrita.

 

Para finalizar

O passo-a-passo para o reconhecimento rápido de um AVC pode ser sintetizado pela sigla SAMU, na qual:

S significa sorriso. Ao pedir para a pessoa sorrir, caso a boca fique torta pode ser um AVC.

A significa abraço. Peça para a pessoa levantar os braços, caso não consiga sustentar um deles, pode ser um AVC.

M significa mensagem. Peça para a pessoa repetir uma mensagem ou frase qualquer, ao verificar dificuldade de compreensão e fala desconexa, pode ser um AVC.

U significa urgência. Na constatação de qualquer um desses sinais e sintomas, considerados os mais representativos da patologia, procure atendimento médico.

 

Repasse essas informações adiante e contribua para a prevenção em saúde.

Caso queira agendar exames especializados ligue (54) 3011-0092.

Estaremos aguardando a sua visita.

Mais Informações
tomografia

Tomografia Computadorizada: saiba por que este é um dos métodos mais seguros e confiáveis para o diagnóstico de diversas doenças

A tomografia computadorizada é um método de exame por imagem que permite a visualização de tecidos, órgãos e ossos. É um exame indolor e sem contraindicações, com exceção das grávidas, que devem recorrer a alternativas como ultrassonografias.

A tomografia é uma ferramenta valiosíssima para auxiliar no diagnóstico de doenças ósseas ou musculares, além de identificar a localização de um tumor, de um coágulo ou de uma infecção.

Este exame utiliza como principal ferramenta a radiação ionizante, tal qual ocorre nos exames de Raio-X convencionais. Essa técnica começou a ser utilizada com finalidade clínica no início da década de 70. Basicamente a radiação ionizante é liberada em feixes no formato de leque, e do lado oposto à fonte ficam posicionados alguns detectores que transformam essa radiação em sinal elétrico, e esse sinal elétrico em imagens propriamente ditas.

Avanços na área da tomografia computadorizada possibilitaram o desenvolvimento de uma nova técnica denominada técnica de varredura espiral (ou helicoidal), a qual torna possível a obtenção de imagens em até 3 minutos.

 

Por que o Método é Confiável?

As imagens obtidas através da tomografia computadorizada são nítidas e possibilitam visualizar inclusive a diferenciação entre os tecidos. As imagens são obtidas na forma de fatias ou cortes.

 

Quais os Principais Tipos de Tomografia Computadorizada?

Os principais tipos incluem a tomografia de tórax, crânio, abdômen, pelve, coluna vertebral, e de membros superiores e inferiores.

A tomografia de tórax é indicada para diagnóstico de disfunções no pulmão e caixa torácica, além de patologias cardiovasculares.

A tomografia de crânio permite visualizar o pescoço, o cérebro, a orelha, os seios e ossos da face, além da mandíbula.

A tomografia de abdômen permite a visualização de vários órgãos em poucos minutos. Esta técnica implica na necessidade de contraste para facilitar a visualização, contraste esse que pode ser administrado por via oral ou endovenosa. Em alguns casos, a tomografia de abdômen poderá ser indicada quando há dificuldade de realização do exame de ultrassonografia.

A tomografia da pelve tem indicação para ambos os sexos, podendo ser indicada de modo conjugado à tomografia de abdômen; em outros casos também pode ser necessário a solicitação de um ultrassom torácico.

A tomografia de coluna vertebral é importantíssima para auxiliar no diagnóstico de patologias posturais. Esta modalidade de tomografia pode ser direcionada para as regiões cervical, lombar, dorsal e lombo sacra.

A tomografia de membros superiores é direcionada para membros como o ombro, braço, cotovelo, antebraço, punho e mão. No caso da tomografia de membros inferiores, os membros envolvidos são a coxa, o joelho, a perna, o tornozelo, o calcanhar e o pé.

 

Dicas de Preparo Para o Exame

A recomendação mais importante é estar com 4 a 6 horas de jejum antes do exame, dessa forma há uma melhor absorção do contraste. Esse tempo varia conforme o local do corpo ao qual a tomografia for direcionada.

Pacientes em uso de certas medicações para o tratamento de diabetes tipo 2 devem suspender o seu uso 24 horas antes e 48 horas após o exame, de modo a evitar possíveis reações na interação com o contraste.

A administração do contraste ocorre por via endovenosa. Contrastes iodados são contra-indicados aos portadores de insuficiência renal grave ou indivíduos com histórico de anafilaxia (reação alérgica grave) prévia.

O contraste não é aplicável para todos os casos, e quando não é aplicável, o preparo pré-exame não é necessário.

Relógios e objetos metálicos devem ser removidos de modo a não interferir no resultado do exame.

 

Dicas Para o Pós Exame

Finalizado o procedimento, é importante saber que o contraste será excretado pelo sistema urinário em até 1 hora e meia. Para facilitar esse mecanismo, é importante manter-se bastante hidratado.

Os medicamentos para controle da diabetes devem ser ingeridos apenas 48 horas após o exame; da mesma forma, pacientes lactantes devem suspender a amamentação durante um tempo estimado de 24 horas.

 

Como é Realizada a Tomografia?

O cliente deita-se na mesa do tomógrafo, e é encaminhado para uma estrutura na qual se localizam os sensores, detectores e geradores de feixes de Raio-X, permanecendo no mesmo durante o tempo necessário.

Na parte frontal, é possível encontrar um painel com diversas opções de comando, tais como altura e movimentação da mesa, angulação e centralização dos feixes. No interior, há um sistema de refrigeração própria, além de motores e projetores de luz, os quais facilitam o posicionamento do cliente.

A tomografia computadorizada é realizada por um técnico de radiologia e requer que o indivíduo examinado fique imóvel, uma vez que qualquer modificação interfere na imagem final produzida.
Para Finalizar

Você pode compreender que o exame de tomografia computadorizada possui uma aplicabilidade bem ampla e é uma importante ferramenta de diagnóstico por imagem. Sua utilização possibilita identificação de inflamações, nódulos, e outras complicações, incluindo os seus estágios de evolução, principalmente referente aos sistemas músculo-esquelético, digestivo e cardiovascular.

Dependendo do tipo de tomografia, haverá ou não indicação de contraste, o tempo de jejum também varia de caso a caso.

Graças ao exame de tomografia computadorizada é possível alcançar diagnósticos cada vez mais precisos. A Verità está sempre trabalhando em prol de oferecer a você excelência tecnológica. Agende o seu exame conosco: (54) 3011-0092

Estaremos aguardando sua visita.

 

Mais Informações
salad-374173_960_720

Hábitos alimentares devem ser mudados no verão

O verão brasileiro é uma estação que graças às suas características de sol forte e temperaturas elevadas, exige certos cuidados com a saúde e a alimentação, que devem ser redobrados nesse tempo. Assim até mesmo alguns hábitos alimentares devem ser mudados no período.

Nessa estação a alimentação deve ser a mais saudável possível, sempre priorizando o consumo de frutas, legumes e verduras, evitando os alimentos ‘’pesados’’, que não combinam em nada com o verão. Pensando nisso, fizemos um artigo sobre os hábitos alimentares que devem ser mudados nesse período, para que você aproveite o verão da melhor forma possível.

Beba mais água

A primeira e umas das mais importantes mudanças alimentares que devem acontecer no verão é o aumento no consumo de água. Já que, nesse período devido ao calor e as altas temperaturas perdemos mais líquidos e sais minerais.

Sendo assim, é necessário que a reposição de líquidos seja feita de forma mais intensa para manter o corpo sempre hidratado.

E não apenas água, beba também sucos naturais, água de coco, chá gelado e isotônico. Entretanto, evite bebidas com alta concentração de açúcar.

Cuidado com as bebidas alcoólicas

Em geral, as bebidas alcoólicas causam efeito desidratante no corpo, sendo o próprio álcool o grande culpado por isso. Isso acontece porque ele diminui produção do hormônio antidiurético, que é o responsável por regular a perda de água corporal.

Desse modo, quando bebemos vamos mais vezes ao banheiro e assim mais água é eliminada pelo organismo. Sendo esse o grande motivo do cuidado com as bebidas alcoólicas, pois, elas irão retirar mais água do corpo em um período como o verão onde é preciso de mais hidratação.

Outro ponto importante sobre álcool e verão é o fato das pessoas acreditarem que estão se hidratando ao tomarem cerveja, por exemplo.

Consuma menos sal

Para desfrutar do verão de forma mais saudável consuma menos sal, pois ele é um grande responsável pela retenção de líquido.

Além disso, o consumo excessivo dele está relacionado ao aumento da pressão arterial. O ideal é consumir até 5 gramas de sal por dia.

Consuma mais frutas

As frutas são alimentos ricos em nutrientes, fibras e até mesmo em água. Consumi-las no verão vai te ajudar na hidratação e equilíbrio do corpo.

Frutas da estação, maçã, uva, banana, e principalmente a melancia, composta predominantemente por água, são ótimas opções. O indicado é comer pelo menos de 3 a 5 frutas por dia.

Coma mais verduras e legumes

Assim como as frutas, as verduras e os legumes frescos também devem ser consumidos em abundância no verão. Já que eles também são ricos em fibras e nutrientes, e alguns em água, como o pepino.

As saladas são uma boa maneira de aproveitar esses alimentos, criando assim, uma refeição equilibrada e saudável.

Evite os alimentos modificados ou processados industrialmente

Por ser uma estação com altas temperaturas, não é indicado no verão o consumo de alimentos industrializados, como os enlatados e molhos prontos.

Já que, eles são ricos em corantes artificiais, conservantes, estabilizantes e sódio. Então, sempre prefira os alimentos frescos.

Diminua o consumo de frituras

O consumo de alimentos ricos em gorduras e as frituras devem diminuir especialmente no verão, evitando assim problemas gastrointestinais.

Sendo assim, dê preferência aos alimentos grelhados. Escolha também alimentos ricos em gorduras boas como o abacate, o coco e a chia.

Atenção com os alimentos comprados na rua

O calor do verão faz com que alguns alimentos estraguem com mais facilidade, além disso, temperaturas elevadas contribuem para a proliferação de bactérias, que contaminam as comidas.

Desse modo, a dica é: na hora de comer fora de casa é importante ficar atento às condições de higiene do local e a correta conservação das refeições. E se você perceber que o alimento está com uma aparência, cheiro ou gosto estranho, não coma.

Para finalizar

Antes de terminar nosso artigo é importante que você saiba que para manter seu organismo saudável, além de bons hábitos alimentares também é preciso estar com os seus exames médicos em dia, só assim, você ficará ciente de como está a sua taxa de gordura, açúcar, entre outras questões importantes para manter o seu organismo saudável.

Não perca tempo, entre em contato com a Veritá e marque os seus exames, teremos um enorme prazer em te atender.

 

Mais Informações
beach-sunset-silhouettes-banco-de-imagem-gratis

Doenças comuns no verão cuidados e como evitar

As altas temperaturas e a umidade do verão no Brasil estão relacionadas o surgimento de diversas patologias, sendo necessárias medidas de autocuidado para evitar o surgimento das doenças comuns no verão, como, por exemplo, desidratação e insolação.

A estação começou no dia 21 de dezembro de 2018 e vai até o dia 20 de março de 2019, e além de apresentar temperaturas mais elevadas, também apresenta dias mais longos. O período é esperado com bastante expectativa, já que, coincide com os dias de férias, fazendo com que as pessoas passem mais tempo no sol, praias e piscinas.

Entretanto, antes de sair para aproveitar o verão é preciso ficar atento e aprender a se prevenir das patologias que aparecem com mais frequência nesse período. Sendo assim, leia abaixo quais são as doenças comuns no verão, os cuidados e como evitá-las.

Desidratação

A desidratação é provavelmente o problema de saúde que ocorre com mais frequência no verão, e se caracteriza pela perda excessiva de líquidos e sais minerais do corpo.

A condição ocorre por causa da exposição ao sol, transpiração excessiva e pelo consumo de pouca água.

Sintomas:

Dor de cabeça, prisão de ventre, sonolência, cansaço, boca seca e pegajosa, pele seca, urinar pouco e sede. Além disso, a pessoa que está desidratada pode ter um aumento de irritabilidade.

Como evitar?

A maneira mais simples de evitar a desidratação é bebendo muita água, cerca de 1,5 litro por dia.

É igualmente recomendada a ingestão de sucos naturais, alimentos leves e frescos e o uso de roupas leves.

Insolação

A insolação se caracteriza por causar um aumento na temperatura corporal, e está associada à exposição excessiva ao sol.

Entretanto, a condição também pode acontecer quando o indivíduo fica um longo período em um ambiente seco e quente.

Sintomas:

Febre, pulso acelerado, falta de ar, enjoo, vômito, tontura, além de a pele ficar seca e avermelhada. Às vezes também podem acontecer desmaios.

Como evitar?

Para evitar a insolação é necessário se proteger corretamente do sol, evitando a exposição entre às 10 horas da manhã e às 16 horas da tarde. Além disso, é preciso usar protetor solar (reaplicar a cada 2 horas), bonés e  chapéus.

Também é recomendando se manter hidratado consumindo bastante água, além de outros líquidos como o suco natural.

Conjuntivite bacteriana

A conjuntivite é uma inflamação que atinge os olhos e pode ter origem alérgica, tóxica ou infecciosa (bactérias ou vírus).

A conjuntivite bacteriana ocorre com tanta frequência no verão porque as piscinas e as praias proporcionam um ambiente favorável ao surgimento da enfermidade.

Já que, as bactérias que causam a doença se propagam na água, atingindo os olhos quando as pessoas mergulham.

Sintomas:

Com o surgimento da conjuntivite os olhos podem sofrer com: vermelhidão, inchaço, ardência, coceira e presença de secreção.

Como prevenir?

Sendo assim, para se prevenir da doença evite mergulhar em locais desconhecidos, ou em piscinas sem tratamento da água.

Além disso, evite coçar os olhos sem lavar as mãos e não compartilhe objetos como toalhas e óculos.

Otite

Assim como a conjuntivite bacteriana a otite, infecção no ouvido, também está ligada aos mergulhos em piscinas e mares. Pois, o ouvido molhado facilita a entrada de bactérias e vírus que causam a doença.

Sintomas:

Os sintomas mais comuns da otite são: incomodo e dor no ouvido, além de febre.

Como prevenir?

A forma mais adequada de evitar a otite é usando protetores auriculares ao entrar na água. Na falta dos protetores, ao menos seque os ouvidos com uma toalha ou cotonete assim que sair da água.

Candidíase

A candidíase é uma doença causada por fungos, que encontram no calor e na umidade a condição ideal para se desenvolverem.

A patologia acontece principalmente pelo uso contínuo de roupas de banho molhadas, atingindo as regiões íntimas e mucosas.

Sintomas:

Surgimentos de pontos vermelhos e coceira nas regiões íntimas e nas mucosas.

Como evitar?

Troque sempre a roupa de banho molhada por uma seca, além de secar bem a região íntima.

Além disso, evite sentar diretamente na areia, use cadeiras de praia ou toalhas. Evite também usar roupas apertadas.

Intoxicação alimentar

A intoxicação alimentar é uma condição causada, principalmente, pela ingestão de alimentos contaminados por micro-organismos nocivos.

Algo que acontece pelo consumo de alimentos mal conservados, graça as altas temperaturas do verão.

Esses alimentos são geralmente consumidos nas praias e clubes, entretanto, pode acontecer com qualquer alimento mal conservado.

Sintomas:

Os principais sintomas da Intoxicação alimentar são: diarreia aquosa, vômitos, enjoos, náusea, dor no estômago e febre.

Como evitar?

A forma mais eficaz de evitar a doença é ficar bem atento aos alimentos que serão consumidos no verão.

Preste bastante atenção na aparência, consistência e odor dos alimentos antes de ingeri-los. Além disso, verifique bem as condições de preparo dos alimentos.

Para finalizar

Na hora de cuidar da sua saúde seja no verão ou em qualquer outra estação do ano, não deixe de entrar em contato com a Veritá. A nossa clínica possui os mais variados tipos de exames, além de um atendimento de excelência, com respeito e agilidade.

Mais Informações

Excessos de final de ano colocam as comemorações e a saúde em risco

https://pixabay.com/pt/natal-tempo-de-natal-advento-2960254/

Fartos banquetes, bebidas alcoólicas, refrigerantes, celebrações no trabalho, na família e com os amigos. A ingestão excessiva de alimentos e bebidas alcoólicas é geralmente uma característica das festas de fim de ano (e as vezes se extende para o verão, principalmente no que toca bebidas).

Nas celebrações destes períodos do ano é comum o consumo de pratos gordurosos e sobremesas carregadas de açúcar. Dessa forma, passamos a consumir uma quantidade de calorias maior do que a habitual.

Além disso, também é bastante comum o aumento no consumo de bebidas alcoólicas.

Mas você sabia que os excessos de final de ano colocam as comemorações e a saúde em risco?

Como o corpo reage aos excessos do final de ano?

É comum acreditar que o único malefício dos exageros de fim de ano é o ganho de peso ou colesterol.

Entretanto, em matéria publicada pela BBC News Brasil, Barry Campbell, gastroenterologista da Universidade de Liverpool (Inglaterra), afirma que os malefícios dos excessos de fim de ano vão além disso.

De acordo com a especialista, as bactérias presentes em nosso sistema digestivo sofrem impactam quando alimentos gordurosos são ingeridos.

Desse modo, se a má alimentação for mantida por um certo tempo, podem ocorrer distúrbios, como uma inflamação intestinal.

Entretanto, esse quadro pode ser evitado se após um dia de exagero for feito um período de alimentação equilibrada.

Excessos de final de ano: outras consequências que colocam a saúde em risco: 

Como dito anteriormente as consequências dos exageros de final vão além de ganho de peso. Veja outros malefícios abaixo:

Intoxicação alimentar

A Intoxicação alimentar é um dos problemas mais comum que acontecem nesse período de mesas fartas.

A complicação é causada pela ingestão de comidas mal conservadas ou alimentos mal lavados.

Visto que, que os alimentos podem estar contaminados por microrganismos (bactérias, vírus, protozoários, etc.), ou substâncias químicas e tóxicas.

A falta de lavagem das mãos antes de comer também pode contribuir para uma intoxicação alimentar.

Excesso de álcool

O consumo excessivo de bebidas alcoólicas é outra realidade que acontece nas festas de dezembro.

São várias as consequências decorrentes do consumo exagerado de álcool, sendo os sintomas da uma ”ressaca” os mais comuns.

De acordo com o CISA – Centro de Informações sobre Saúde e Álcool, a ”ressaca” é uma forma que o organismo encontra para nos lembrar sobre os perigos do consumo excessivo de álcool.

A complicação está associada à intoxicação aguda de álcool, tem início cerca de 6 a 8 horas após o excesso e pode durar até 24 horas.

O mal-estar se caracteriza pela presença de sintomas físicos como: dor de cabeça, náuseas, cansaço, tremores, entre outros.

Da mesma forma, a ”ressaca” também apresenta sintomas mentais, sendo os mais comuns a irritabilidade e a ansiedade.

Não apenas isso, a abundância de álcool também pode resultar em uma desidratação, já que ele causa um efeito diurético.

Além disso, há uma consequência muito grave relacionada ao consumo de álcool e embriaguez: os acidentes de trânsito.

Acidentes Cardiovasculares

Um acidente cardiovascular é certamente a consequência mais séria que pode decorrer devido aos excessos de fim de ano.

A vigilância nos exageros deve ser feita acima de tudo pelas pessoas que possuem pressão arterial elevada e colesterol alto.

Em síntese, o perigo se eleva para essas pessoas devido às doenças cardiovasculares serem agravadas pelo consumo exagerado de gordura, sal e álcool.

Além disso, os excessos podem resultar no aumento da pressão arterial e na formação de placas de gordura dentro dos vasos.

Por consequência podem surgir complicações como o infarto e o AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Dormir pouco

Nesse período de festas de fim de ano também é frequente que as pessoas passem a dormir pouco.

Não dormir a quantidade de horas necessárias podem deixar o sistema imunológico mais fraco e propenso à doenças.

Do mesmo modo, dormir pouco pode resultar em fadiga e na falta de equilíbrio e concentração.

Dicas para aproveitar as celebrações de fim de ano sem excessos prejudiciais

Em matéria publicada pelo Jornal Extra, o cardiologista Marcelo Luiz Peixoto Sobral, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, destaca que mesmo nessa época de festas não se pode deixar a saúde de lado.

De acordo com o médico, é necessário tomar cuidado com a qualidade e a quantidade de alimentos consumidos, e priorizar o consumo de saladas, frutas e sucos.

Outras medidas simples também podem contribuir para uma passagem de ano sem problemas. Veja abaixo:

Beba com moderação

Não exagere na quantidade de bebidas alcoólicas. Estabelecer uma quantidade  de bebida que será consumida pode ajudar nessa hora.

Entretanto, se exagerou no álcool, não dirija.

Durma bem

Procure manter uma rotina de sono mais adequada e saudável possível.

Diminua a ingestão de gordura e açúcar

Diminua o consumo de alimentos ricos em gorduras e açúcar, e evite também a ingestão de carne vermelhas e pães.

Com essas dicas é possível desfrutar das celebrações de fim de ano sem excessos e com moderação.

E para começar o próximo ano cuidando de sua saúde conte com a Verità, em nossa clínica você vai encontrar diversos tipos de exames médicos à sua disposição.

Além de um atendimento com respeito, excelência e agilidade. Conte conosco!

Mais Informações

Como incluir simples hábitos na rotina pode contribuir para um 2019 mais saudável

https://pixabay.com/pt/ioga-mulher-natureza-paisagem-1812695/

É comum as pessoas criarem metas para o novo ciclo, como um novo ano, por exemplo. De fato, emagrecer e ter uma vida mais saudável são geralmente as mais comuns.

Alcançar um estilo de vida saudável é o desejo de muitas pessoas, pois elas já se conscientizaram que essa é a forma mais adequada para manter a saúde em dia.

Embora, a relevância de manter hábitos de vida saudáveis é geralmente muito mais importante do que pensamos.

Já que, as práticas saudáveis são de extrema importância na prevenção de problemas de saúde ligados ao sedentarismo e maus hábitos alimentares.

Doenças como obesidade, hipertensão, diabetes e até mesmo o câncer podem ser evitadas com a adoção dessas práticas.

Do mesmo modo, uma rotina saudável também traz grandes benefícios para a mente, combatendo transtornos emocionais como ansiedade e depressão.

Se você também deseja priorizar a sua saúde em 2019, veja nesse artigo como incluir simples hábitos em sua rotina.

Brasileiros estão em busca de hábitos mais saudáveis

Um levantamento divulgado pelo Ministério da Saúde indicou que nos últimos anos os brasileiros estão procurando adquirir hábitos para manter uma vida mais saudável. Conforme a pesquisa, a prática de atividades físicas no país aumentou 24,1% de 2009 a 2017.

O levantamento também apontou outros dados positivos: a ingestão de frutas e hortaliças aumentou, enquanto o consumo de refrigerantes caiu.

Esses dados são ótimos e provam que as pessoas estão cada vez mais buscando formas de manter hábitos mais sadios.

Como adquirir novos hábitos? 

De fato, criar novos hábitos não é algo tão fácil assim, mas eles podem ser conquistados por meio da persistência e de pequenas mudanças diárias.

Sendo assim, o modo mais eficaz e fácil de adquirir novos hábitos é implementá-los aos poucos.

Veja abaixo formas simples de incluir hábitos saudáveis em sua rotina.

Hidrate-se

A água é extremamente importante para o corpo humano, visto que em média 70% dele é composto por água.

Além disso, o organismo precisa dela para realizar bem todas as funções vitais.

Para que o corpo supra todas as suas necessidades o recomendado é beber 2 litros de água por dia.

Exercite-se

Incluir a prática de exercícios em seu dia a dia é indispensável para se manter saudável.

E para isso não é necessário passar horas em uma academia, basta fazer pequenas caminhadas de forma regular ou praticar natação.

Atividades simples como: andar de bicicleta, dançar, ou até mesmo passear com o cachorro já são válidas.

Coma mais frutas e verduras

As frutas e as verduras são uma riquíssima fonte de vitaminas, fibras e minerais, além de ajudarem a prevenir algumas doenças.

Dessa maneira, inclua o consumo delas em todas as suas refeições.

Coma fibras

As fibras desempenham um importante papel no nosso organismo, sendo responsáveis por diminuírem a absorção da gordura e do açúcar.

Maçã, pera, aveia e arroz integral são ótimas fontes de fibras.

Troque o refrigerante pelo suco natural

Beber refrigerante é um péssimo ato para a nossa saúde, pois eles estão carregados de açúcar, sódio e produtos químicos.

Dessa maneira, opte pelos sucos naturais que são ricos em nutrientes que trazem benefícios para o corpo.

Evite alimentos gordurosos

Troque as frituras por alimentos grelhados, assados ou cozidos, pois o seu consumo está ligado ao surgimento de doenças como a obesidade, aumento da pressão arterial e diversas outras doenças cardiovasculares.

Também evite em sua alimentação as gorduras trans, como por exemplo, a margarina.

Evite os temperos prontos

Os temperos prontos ou industrializados estão carregados de sal e produtos químicos, e por isso o seu consumo regular pode contribuir para o surgimento de doenças do coração e diabetes.

Sendo assim, troque-os por temperos frescos como alho, cebola e ervas.

Descanse

Tão importante como manter uma alimentação saudável e praticar exercícios é o ato de descansar.

Tire um tempo para fazer coisas relaxantes como ler um livro ou assistir um filme, ou qualquer outra coisa de que você goste.

Durma bem

Dormir bem é um dos fatores mais importante para se alcançar uma vida saudável.

É por meio do sono que o nosso organismo descansa a mente e o corpo. Além disso, o sono contribui para a melhora na disposição, no metabolismo e na prevenção de doenças crônicas.

Faça exames de rotinas

Provavelmente você já escutou aquela frase “prevenir é melhor que remediar”, e não podemos negar essa verdade.

Desse modo, fazer periodicamente exames de rotinas vai contribuir para o alcance da qualidade de vida.

Já que, esses exames permitem que o organismo seja monitorado e assim protegido de uma série de problemas.

E seja qual for o seu sexo e idade, aqui na Clínica Verità você encontra os mais variados tipos de exames preventivos. Em 2019 conte conosco para cuidar da sua saúde.

Mais Informações

A importância da mamografia na saúde da mulher

Compreensivelmente, o diagnóstico de um câncer é sempre uma situação de muito medo e apreensão, mas com exames como a mamografia é possível ter um diagnóstico precoce e assertivo. O câncer de mama é um grande mal na vida de milhares de mulheres no nosso país, e seus efeitos mais graves podem ser evitados com o exame e detecção precoce. Porém, muitas vezes o mesmo não é feito na frequência recomendada, por isso esse texto vai falar da importância da mamografia na saúde da mulher. Acompanhe todo o conteúdo.

mamografia-na -saúde-da-mulher

O câncer de mama é o mais comum entre as mulheres, de acordo com o INCA, Instituto Nacional do Câncer, esses tipos de câncer correspondem a 25% dos novos casos a cada ano. Um dos exames mais importantes para a saúde da mulher é a mamografia. Quando realizada na periodicidade correta, ele é capaz de detectar o câncer em estágio inicial.

A mamografia na saúde da mulher, facilita o tratamento diminuindo as cirurgias e aumentando consideravelmente as chances de cura. O ideal é que a mulher mantenha uma rotina saudável, com uma vida saudável e com as consultas em dia com o seu médico.

 

O auto exame não é o suficiente

O auto exame é importante, porém, na maioria dos casos, ele não ajuda no diagnóstico precoce da doença. Isso porque você só consegue detectar o tumor na mama quando ele não está mais no estágio inicial.

Além disso, as alterações nas mamas também podem ser causadas por outros fatores, como: Menopausa, envelhecimento, mudanças hormonais durante ciclos menstruais ou até por conta da ingestão de pílulas anticoncepcionais. Por isso, se você é mulher, e encontrar anormalidades nos seios, procure um médico o mais rápido possível.

 

Como é feito o exame de mamografia?

O exame não é nada complexo de se fazer, mas pode gerar algum desconforto rápido pela compressão das mamas. No entanto, há orientações sobre a melhor forma de aliviar o desconforto. De qualquer forma, esse pequeno incomodo não pode ser motivo para que o exame não seja feito quando recomendado.

É comum que algumas mulheres não façam a mamografia por receio de descobrirem um possível câncer de mama. Algumas mulheres também evitam o exame pela exposição à radiação, mas saiba que que a imagem do exame é obtida com raios X de baixa intensidade, tendo risco mínimo, ainda mais quando comparado ao benefício que é a detecção precoce da doença. É preciso sempre saber que quem faz o exame, se certifica de não ter câncer de mama ou garante uma maior chance de cura, o exame é a única forma de detectar o câncer em estágio inicial.

 

Quando realizar o exame?

A recomendação da Sociedade Brasileira de Mastologia é que as mulheres comecem a realizar os exames anualmente a partir dos 40 anos. Para quem se encontra no grupo de risco, pessoas com histórico de câncer de mama na família, fumantes, obesas e mulheres com diabetes, a melhor idade deve ser a partir de 35 anos. Para as mulheres que estão entre 50 e 69 anos, o intervalo máximo do exame, deve ser se até 2 anos entre cada.

Em alguns casos, o exame não é recomendado, quando a paciente está amamentando ou grávida, quando o último exame, há menos de 12 meses tenha aparecido um resultado normal ou caso a mulher tenha menos de 35 anos e não se encontra em um grupo de risco.

O câncer de mama nos estágios iniciais pode não apresentar sintomas, mas é importante ficar atento a certos sinais, como pele enrugada, inchaço, secreções espontâneas ou pele descamativa ao redor do mamilo.

A importância da mamografia na saúde da mulher é enorme, provavelmente, milhares de mulheres possuem o câncer e não sabem. É importante a escolha de um médico experiente e de uma ótima clínica para a realização do exame, pois, as vezes, o médico pode pedir que mais de um exame seja feito dentro do período de 1 ano, muitas vezes o câncer é descoberto apenas no segundo ou no terceiro exame. Sabemos que o câncer quando descoberto tardiamente pode ser fatal.

 

Se você é mulher e está lendo esse texto ou você homem, que tem esposa, mãe ou irmã, saiba que a prevenção do câncer de mama é uma tarefa de todos. A família deve estar sempre ciente de que pode ajudar alguém que se encontra em dificuldade para realizar o exame, seja por constrangimento ou seja por falta de acesso.

Nossa clínica tem como principal proposito ajudar todas as mulheres e, no Outubro Rosa, nossa missão se torna ainda maior. Entre em contato conosco, podemos realizar o seu exame e entregar o diagnóstico mais preciso possível. Ligue (54)3011-0092.

 

 

Mais Informações
1
Olá, podemos ajudar? Fale conosco por WhatsApp agora
Powered by